Tag Archive | cursos de inglês

Accent: o inglês e seus diversos sotaques

Passagens compradas, vistos tirados, e você finalmente tem tudo certo para o seu intercâmbio nos Estados Unidos. Você vai fazer uma imersão cultural e aprofundar o seu conhecimento do inglês, vai se aperfeiçoar num segundo idioma. Dito isto, ainda resta uma dúvida: qual inglês, na verdade, você vai aprender?

Você consegue diferenciar os inúmeros sotaques de inglês?

O inglês é hoje língua oficial em cerca de 55 países. Pesquisas apontam que mais de um bilhão de pessoas hoje falam o idioma, como primeira ou segunda língua. Não é de surpreender que diversos sotaques – os accents – afetem, hoje, a forma como a língua é falada e entendida.

O mesmo acontece, em menor grau – há menos falantes – com a língua portuguesa. Não é de todo raro que um brasileiro, quando na Europa, muitas vezes se depare com um lisboeta e se ponha a tentar adivinhar que idioma, raios, aquele gajo está a falar. Por vezes, é mais difícil entender o que fala um português da cidade do Porto do que um espanhol em Madrid.  Nem é preciso, aliás, ir tão longe: há gaúchos que mal entendem o que falam os baianos, e nortistas que se estranham com o linguajar dos paulistas. A respiração, a entonação, o abrir mais ou menos a boca, tudo isto afeta a forma como a língua é falada.

Se muitas vezes podemos enfrentar dificuldades para compreender o que fala alguém que comunga do nosso próprio idioma, o que dizer quando os diversos sotaques afetam a pronúncia de uma segunda língua, como o inglês. As diferenças entre o inglês dos americanos e o inglês britânico são muito comentadas nas escolas brasileiras. Notórios são, também, os sotaques irlandeses, escoceses e australiano, indiano e por aí afora. Mas mesmo num intercâmbio nos EUA você pode se deparar e aprender inúmeras variações: o accent texano é bastante distinto do nova iorquino. Na Flórida, a imensa influência hispânica reflete-se sobre o vocabulário. Há, pois, variadas formas de se falar e entender o inglês e a escolha do seu destino EUA intercambio vai afetar o seu subsequente falar do inglês.

O filme Harry Potter é um dos que conseguimos perceber com facilidade o sotaque britânico.

Se você quiser descobrir mais sobre as diversas variantes da pronúncia do inglês, acompanhe nossas próximas postagens pois voltaremos ao tema mais detalhadamente, abordando outras peculiaridades dos diversos accents e como eles podem influenciar sua escolha de destino para um intercâmbio Estados Unidos.

Visite Victoria, no Canadá!

Sempre quando falamos da Colúmbia Britânica, pensamos instantaneamente em Vancouver, a maior e principal cidade da província. Para aqueles que querem fazer um intercâmbio Canadá, e querem viajar um pouco e explorar o país, Victoria, a capital da Colúmbia Britânica é um excelente destino para se conhecer.

Se você está visitando a Colúmbia Britância, vá até Victoria e se surpreenda!

A pouco mais de 1 hora de viagem de Vancouver, Victoria é uma charmosa cidade que reflete todo o espírito diferenciado da Colúmbia Britânica. Se você está em Vancouver, você pode chegar a Victoria utilizando diversos meios de transporte, e neste link (em inglês) você poderá obter mais informações sobre. A cidade possui 80 mil habitantes de acordo com o ultimo censo e além de muito organizada, conserva a fama de ser uma cidade extremamente limpa.

A beleza dos jardins de Victoria

Conhecida como “Garden City” (Cidade dos Jardins), Victoria contribuiu fortemente para que a Colúmbia Britânica seja a região norte americana com maior concentração de parques. O principal fluxo turístico se dá na primavera, justamente quando a cidade exibe a cor das suas flores. A decoração da primavera chega a ser extraordinário, com mais de 1500 postes decorados com cestos de flores.  Outro destaque é o Butchart Garden, que com seus 55 acres oferece milhares de espécies que florescem entre os meses de março – outubro e transformam um simples passeio num espetáculo visual de cores.

Diferente de muitas outras cidades canadenses, Victoria possui um clima submediterrâneo e mais moderado ao longo do ano.  No inverno as temperaturas giram em torno de 6 graus (sim, isso é agradável no Canadá!), enquanto no verão as médias estão em torno de 23 graus. Além dos jardins a cidade possui ainda outros atrativos como o Museu Real da Colúmbia Britânica, que conta um pouco da história da província; a segunda mais antiga Chinatown da América do Norte; o Parlamento local, um belo edifício neo-barroco localizado em frente e com vista para o mar e a marina da cidade. E se você tem vontade de uma experiência totalmente diferente, Victoria é o destino ideal para “Whale Watching” (Observação de Baleias), com diversas empresas que possuem uma alta taxa de sucesso avistando as 3 grandes comunidades de orcas residentes na região.

Apesar de não ser uma grande cidade como Toronto ou Montral, Victoria é um excelente destino para um final de semana durante o seu intercâmbio no Canadá, e impressiona por sua limpeza, organização e beleza. A atmosfera da cidade é algo difícil de descrever e somente estando presente para se vivenciar o clima positivo e agradável que combina perfeitamente com o sol, o mar e a cor das flores nas ruas.

Por que San Diego?

Se você tem vontade de fazer um intercâmbio nos Estados Unidos, San Diego é uma cidade a ser considerada. Com clima agradável durante todo o ano, praias bonitas, e uma organização impecável, a cidade é uma das favoritas entre os americanos e estudantes estrangeiros, que vem dos mais variados países do mundo para estudar inglês.

Mas por que San Diego é tão interessante?

Possivelmente o que faz de San Diego um dos lugares mais atrativos dos Estados Unidos é o seu agradável clima. Diferente de outras cidades costeiras americanas como São Francisco e Seattle, San Diego parece ter sido abençoada com temperaturas ideais e céu ensolarado durante quase todo o ano. A revista especializada Travel + Leisure recentemente publicou uma pesquisa com seus leitores que coloca a cidade como o destino americano ideal para férias e com melhor clima.

E o que a cidade tem a oferecer?

Atrações sobram em San Diego. Na verdade, o maior problema que as pessoas encontram é a falta de tempo para desfrutar de tudo. Começando por seu litoral, a cidade oferece 70 milhas de praias, e agradam a todos os gostos. Calmas, lotadas, com ondas, tranqüilas, para piqueniques, para Surf, para luau, e etc, neste quesito San Diego definitivamente agrada a Gregos e Troianos.

O potencial turístico da cidade combinado com o bom clima e seus animados habitantes transformam a noite local. Se você gosta de baladas, se prepare, pois San Diego não vai te deixar ficar em casa com suas inúmeras atrações, principalmente no Gaslamp Quarter, que oferece centenas de restaurantes, pubs, bares e discotecas.

Para os apaixonados por artes a cidade inova sempre e oferece muitas exposições externas (nada de se trancar dentro de paredes de museus!!) como a San Diego Artwalk e a Artwalk on the Bay. E para quem está afim de explorar a natureza há lugares como a Reserva Estadual Torrey Pines e o Parque Regional Mission Trails.

Ah, e não se assuste. San Diego também está na lista dos 10 melhores destinos econômicos dos EUA com diversas atividades grátis.

Ainda está na dúvida se o seu intercâmbio Estados Unidos deve ser para San Diego? Continue acompanhando o nosso blog, pois seguiremos postando informações interessantes que com certeza irão lhe ajudar a encontrar o destino ideal para estudar no exterior.

Quais os tipos de visto para se estudar nos Estados Unidos?

Visto para estudar no exterior sempre envolve muita burocracia e o processo pode ser cansativo e até custoso, e por isso hoje vamos dar uma informação mais prática para aqueles que desejam fazer um intercâmbio Estados Unidos para estudar inglês.

Como sabemos, o governo americano é um dos mais exigentes em relação à entrada de brasileiros em seu território e por isso, todo cidadão com passaporte brasileiro é obrigado a tirar um visto antes de desembarcar em solo americano.

Para quem quer fazer um curso de inglês nos EUA, quais são as exigências?

Estudantes que desejam viajar para os Estados Unidos para fazer um intercâmbio de idiomas tem basicamente duas opções: visto de turista B2 (cursos de tempo parcial e com duração inferior a 90 dias) e visto de estudante F1 (cursos de tempo integral e com duração superior a 90 dias).

E o que são cursos integrais e parciais?

O Governo Americano divide os cursos nestas duas categorias e o que determina cada uma delas é a sua carga horária. Se o curso tiver carga horária inferior a 1080 minutos semanais, ou 18 horas (Atenção: 18 horas, não 18 aulas!) ele é classificado como curso de tempo parcial. Se a carga horária for superior a 1080 minutos semanais (ou 18 horas), será classificado como de tempo integral.

E como tirar cada um dos vistos?

O visto de turista é o mais requisitado pelos brasileiros e felizmente recentemente o Governo Americano tem se empenhado para facilitar a emissão dos mesmos. Apesar de o preço ter subido recentemente, o processo se tornou mais rápido e simples. Informações detalhadas sobre o processo podem ser consultadas neste link.

Presidente Obama vem anunciando medidas que facilitam a entrada de brasileiros nos Estados Unidos

No caso do visto de estudante, o processo é um pouco diferente já que envolve terceiros (no caso o centro de ensino nos EUA). Para solicitar o visto você precisará principalmente de um documento chamado I-20 que comprova o seu vínculo com um centro de ensinos nos EUA. Este documento só é enviado pelas escolas após o total pagamento das taxas do curso, e pode demorar até 4 semanas para chegar, por isso o planejamento é a alma do negócio.

Além disso, você precisará fornecer muitas outras informações para o consulado americano, e o principal é sempre demonstrar o máximo de vínculos com o Brasil (bens imóveis, móveis, comprovantes de renda, emprego, matrícula em universidade e etc.). Como o visto F1 não permite ao estudante trabalhar, a comprovação de fundos existentes para se manter nos EUA é muito importante. A lista de documentos pode ser encontrada neste link, e tenha sempre em mente que para fazer um intercâmbio para os Estados Unidos o ideal é sempre se planejar com antecedência para não haver surpresas.

O vinho canadense

A verdade é: se você pensar no Canadá, dificilmente virá a sua mente a palavra “vinhos”. As imagens que nos vem a cabeça das enormes montanhas rochosas cobertas de neve nos passam a idéia de um lugar difícil de se encontrar vinícolas. As tundras cobertas de neve também não nos proporcionam a idéia de uma boa safra. Porém, quem mora ou faz um intercâmbio no Canadá sabe que esse país é muito maior do que montanhas e neve, e deixando estereótipos de lado, você pode descobrir gostos muito surpreendentes.

Nos últimos 30 anos a indústria do vinho no Canadá vem trabalhando de forma incansável para mostrar que o país é capaz de produzir vinhos com aromas sutis, sabores complexos e potencial de envelhecimento. Assim como em outros países com uma forte cultura de vinhos, como França, Itália e Alemanha, o governo canadense exige padrões de qualidade dos vinhos produzidos no país através de um sistema regulatório chamado VQA (Vintners Quality Alliance). Esse corpo garante não só a qualidade, mas também a identidade e autenticidade dos vinhos canadenses.

E onde podem ser encontradas as vinícolas canadenses?

Em busca de clima mais temperado, a maioria dos produtores de vinho canadense se estabeleceu na parte sul do país, colocando o coração da produção ao longo da fronteira com os Estados Unidos. Os principais vinhos são produzidos nas províncias da British Columbia, Ontário, Quebec e Nova Escócia, com destaque para as duas primeiras.

Quais são as mais famosas?

Para quem faz um intercâmbio em Vancouver, ou está nas proximidades, a British Columbia é provavelmente a mais prestigiada província, contando com o Okanagan Valley como a mais famosa região, com inúmeras vinícolas localizadas no cenário paradisíaco, próximas ao lago e rio Okanagan. Além do seu prestigio como produtoras,são também as mais desenvolvidas no setor turístico, oferecendo variados passeios e tours. O segredo do sucesso na região está no seu clima seco e ensolarado, e suas paisagens áridas, que lembram bastante o cenário vinicultor californiano.

Outro ponto famoso é a península de Niágara, localizada na fronteira da província de Ontário com o estado de Nova Iorque. O micro clima produzido pelos lagos Ontário e Erie fazem da região um lugar excelente para a produção de vinho.

Apesar de jovem, e ainda não estar no patamar de grandes potências produtoras de vinho, as vinícolas canadenses tem muito a oferecer aos apaixonados por vinho e aos seus visitantes.

A cidade subterrânea de Toronto

Path é o maior complexo comercial subterrâneo do mundo, localizado no centro da cidade de Toronto. É um lugar com enorme fluxo de pessoas, no centro da cidade, que inclui lojas das mais variadas e é um excelente local para fazer compras se você está passeando ou fazendo um intercâmbio no Canadá.

O pontapé inicial do Path data no início do século XX, quando a loja de departamento Eaton Co. construiu um túnel subterrâneo conectando sua loja principal com uma filial localizada a algumas quadras de distância. Porém, foi nos anos 60, com o surgimento de novos e enormes edifícios no centro da cidade expulsando os comerciantes menores que o Path encontrou um motivo real e coletivo para sua expansão. Atualmente, o sistema conta com 27 quilômetros de distância, conectando mais de 50 prédios no centro da cidade, 5 estações de metrô, uma de trem e com 130 pontos de acesso as ruas de Toronto. Além disso, muitos pontos turísticos como o  CN Tower, o Rogers Center e a prefeitura da cidade também estão conectados diretamente com o Path.

No total, a cidade subterrânea oferece cerca de 1200 lojas para os mais de 100 mil pedestres diários (número que aumenta consideravelmente durante os meses mais frios), gerando aproximadamente 5 mil empregos para a população de Toronto. Nos meses de inverno o Path se mostra extremamente eficiente, já que enquanto nas ruas a temperatura pode chegar a muitos graus negativos, e na enorme cidade subterrânea ela se mantém sempre entre os 18 e 21°C. O complexo oferece um pouco de tudo, com muitos restaurantes, lojas de departamento, livrarias, jogos, lojas de material esportivo e etc. A lista completa de todos os estabelecimentos pode ser encontrada no próprio site oficial, bem como um mapa para melhor orientação. Para os próximos anos a prefeitura de Toronto já anunciou uma expansão do sistema, que praticamente irá duplicar seu tamanho atual.

Toronto Path

O modelo subterrâneo está presente em outras cidades do mundo, como a também canadense Montreal, além de Cingapura, Osaka e Minneapolis. Atualmente, quem faz um intercâmbio para o Canadá, em Toronto, sabe da importância do Path na vida cotidiana e agradece muito pela sua existência principalmente nos dias mais frios.

As melhores atrações de Calgary

Se você deseja fazer um intercâmbio no Canadá, Calgary é uma cidade a se considerar por suas belezas naturais, ambiente jovem e segurança. Confira as 10 melhores atrações para se conhecer:

Parque Olimpico de Calgary

  • Parque Olímpico Canadá: Lar dos Jogos Olímpicos de Inverno de 1988, este centro oferece muitas atividades para seus visitantes, inclusive aulas de esqui e mountain bike.
  • Calgary Stampede: Fazendo jus a suas tradições “westerns” a cidade de Calgary promove durante 10 dias de julho,o rodeio mais famoso do mundo,que além disso conta com cursos, espetáculos, parques e muitas outras atrações.
  • Parque Nacional Banff: Nos arredores da cidade se encontra este parque que permite aos visitantes explorar as famosas Rockies e suas paisagens deslumbrantes em mais de 2564 metros quadrados de belezas naturais.
  • Torre de Calgary: Ponto turístico mais famoso da cidade, a torre possui um piso de vidro no seu observatório que permite uma visão panorâmica completa da cidade.
  • Zoológico de Calgary: Contando inclusive com uma seção de animais pré-históricos, o Calgary Zoo exibe ainda animais tradicionais do Canadá e espécies exóticas dos mais afastados cantos do mundo.
  • Museu Aeroespacial: A fascinante história da aviação mundial está escrita nesse diferente museu canadense. Descubra o sonho dos “trailblazers” em conquistar os céus, ou a história da conquista do espaço.
  • Calgary Oval: Todos os eventos relacionados à patinação das olimpíadas de 1988 aconteceram neste local. Você pode fazer aulas e também praticar um pouco sobre patins no gelo.
  • Calgary Flames: A paixão dos canadenses pelo hóquei no gelo em Calgary está representada por essa tradicional equipe. Assistir a uma partida no Saddledome irá lhe mostrar in loco toda essa paixão.
  • Heritage Park: Essa réplica de uma vila do século XIX nos conta a história da colonização oeste do Canadá. Com mais de 127 acres, é uma excelente atração para todas as idades.

Montanhas Rochosas

  • Tour pelas Rocky Mountains: Não há um lugar específico para ir, simplesmente havendo variadas rotas e passeios disponíveis. Porém todos os visitantes de Calgary, seja a passeio ou fazendo um intercâmbio para o Canadá devem conhecer as Rocky Mountains e seu cenário hipnotizante.